Now Playing Tracks

Eu não sei exatamente quando começou, eu não sei nem o por quê começou, afinal a gente nunca sabe, e muito menos entende essa coisa toda, né? (…)

De uns tempos pra cá nem estou mais me reconhecendo, durante duas semanas fui quem eu quis ser, mas era alguém que normalmente eu odiaria ser. 

Na semana seguinte, a semana em que eu me envolvi mais, e realmente escolhi deixar os meus dias mais felizes, é porque é isso que você faz. Em meio a tantas briguinhas bobas, eu consegui te contar coisas que a mais ninguém eu contaria, consegui ser eu mesma, mesmo você me ignorando na maior parte do tempo, mesmo você me ”desgostando” mais a cada minuto, do que gostando. Bom, na verdade não sei ao certo o que você sente por mim, ora você dá a entender que é algo além de uma amizade, ora você me ignora e tudo não passa de ”bons amigos” e nada mais. 

Gosto quando você diz se importar comigo, na verdade, para ser bem sincera, eu odeio ter que responder: ”Obrigada por se importar.” Quando o que eu mais queria era ir muito além dessas simples palavras. Não sei também se você merece tanto ”nhe nhe nhe” assim, mas eu sou assim, e por mais que isso me incomode, eu consigo ser eu mesma com você, mesmo você duvidando disso algumas vezes.

Você diz que sou dramática, sim eu sou, uma legitima dramática idiota e talvez apaixonada, é a terceira é a pior parte, é algo que não posso evitar. E sim, eu gostaria de evitar. Já parou para pensar que talvez isso nem seja drama? Pode ser amor, despejado aí de qualquer jeito, porque eu nem sei o que fazer com ele, então deixe como está. 

Você não se importa? Diz que se importa pelo menos uma vez, mas não que se importa comigo, mas diz que se importa com a gente, junto, sabe? Eu gosto de estar com você, gosto de você em todos os meus dias, e mesmo você não sendo esse garoto perfeito, me ignorando e disposto a tirar um sarro de qualquer coisa que eu diga, mas também que não mede esforços pra ver sorrir. Eu gosto disso, realmente gosto. Se eu não gostasse tanto, eu não estaria aqui fazendo papel de idiota pensando, ou melhor idealizando milhares de coisas que talvez nunca aconteçam, mas também que nunca deixei de acreditar. Não desisto fácil, principalmente de pessoas das quais eu gosto, e são importantes pra mim, e você, você é uma delas. De uns dias pra cá você tem sido a coisa mais importante. É acordar e ficar naquela ansiedade pra pegar o celular e ver se tem uma simples mensagem de ”Bom Dia”, sempre tem, e se não tiver o dia não começa bem, você sabe disso. Se não sabe, está sabendo agora. Falei demais, foda-se. Eu precisava falar. 

É, eu precisava falar, já estava quase explodindo! Ou melhor, falar não né, escrever. Boom! Uma explosão de palavras, e nem se quer foram lidas. Foda-se outra vez.

Letícia Eduarda

leticia-eduarda:

Você nunca está sozinho. 

Essa sou eu, sempre desesperada, ansiosa, e controladora quando se trata de ”manter a calma, manter a calma, manter a calma”. Se isolar do mundo por alguns dias, não é muito minha praia, apesar de estar convivendo com isso há alguns anos. Se não fossem os amigos, mas que em algumas ocasiões tenho preferido chamar de anjos, eu consegui, conseguir passar por isso sorrindo, consegui até achar graça, quando era pra eu chorar e me perguntar o que eu estava fazendo aqui. É, essa era eu há algum tempo atrás. Me renovei a cada sorriso ganho, a cada abraço, a cada piadinha, a cada motivação, é se um amigo lhe der a mão, lembre-se que você tera tudo, e nunca, nunca estara só. Inumeros sms trocados durante o dia, inumeras palavras de apoio, sim, eu posso estar aqui todos esses dias nesse hospital, mas sei que isso vai passar, sei que tenho uma base muito forte, cheia de amor, esperando por mim ao sair daqui. É, só eu, meu computador e meu celular, eles me passam a alegria de vocês, me passam o carinho de vocês, e eu nem quero mais nada disso, além do amor de vocês, ao sair daqui, e depois, e depois, e sempre. Com a mesma sinceridade nas palavras, espero que tudo continue assim, eu estou triste, me sinto irritada, e querendo explodir em meio as lágrimas, penso mil coisas, boas e ruins, mas tudo vai passar. Vocês sempre dizem isso, e sempre passa. Sempre passa.

Letícia Eduarda

Um modo de ser feliz: respeitar e ser respeitado.

Parem para pensar: Todos os problemas da sociedade estão acontecendo porque as pessoas não se ouvem. Ninguém quer se dar ao trabalho de ouvir a pessoa do lado, refletir sobre e aí, decidir se concorda ou não. Não me importa o que você pensa, aliás… Que se dane você também!

Você diz “Fulano se suicidou? Que horror! Não tinha Deus no coração.” Já parou para lembrar quantas vezes essa pessoa te pediu socorro, te chamando para se encontrarem para bater papo? Mas claro que você não poderia reservar preciosas duas horas do seu dia para ir encontrar aquele amigo.

Você já reparou quantas vezes cometemos erros sérios ou banais, simplesmente porque não ouvimos o que as pessoas nos disseram?

E em quantas pessoas afastamos de nossas vidas, porque achamos que sabemos o que estamos fazendo e não queremos ouvir ninguém?

Quantos amigos perdemos porque não demos atenção as suas conversas e lhe dissemos “Aff! Você fala demais!”. As pessoas se magoam.

Nos amores que nos tiraram de suas vidas, e nos forçaram a sair da deles, só porque estavam cansados de nos dizer algo errado que acontecia e nós, simplesmente, não ouvimos?

Já pensou que as pessoas ficam doentes porque querem falar? Quantos vários casos existem de pessoas que estão passando mal, chegam no hospital, conversam com a enfermagem e mesmo sem tomar nenhuma medicação, acabam melhorando? Querer ser ouvido dá gastrite!

Se deu conta que nem todas as pessoas que te param na rua para pedir dinheiro, querem mesmo dinheiro? Ouça sua história. Ela quer dinheiro para voltar para a cidade natal… Por quê? Como ela se chama? Tem família? Tem sonhos? Medos?

Já pensou que você pode se identificar com a história dos outros?

Numa época tão individualista em que estamos vivendo, ninguém quer ouvir o outro. Até dentro de casa existem pais que não conhecem seus filhos e filhos que sequer imaginam como são seus pais…

Que mal há em olhar nos olhos enquanto conversa? Ouvir as pessoas e mesmo que não concorde, respeitá-las.

Ninguém pode não gostar de figo sem nunca tê-lo comido. Ninguém pode discordar de uma idéia, sem nunca tê-la conhecido.

Logo tudo isso aqui acaba. A vida acaba! Você pode ter cinco carros, status, casa na praia, um bom apartamento e muito dinheiro, mas nada disso vai te acompanhar para sempre. Tudo que você leva consigo pelo resto da vida: experiências, experiências, experiências, família e amigos.

Nenhum problema é tão grande que não possa ser resolvido. Às vezes, quando alguém nos conta seus problemas, nós temos meios de ajudar. Outras vezes, nós é quem precisaremos de ajuda. E aí, quem vai nos ouvir?

- Lieda Fernanda -

Mas não quero saber o quanto minhas decisões afetaram vocês. Eu sempre me omiti para agradar, sempre pensei que era mais fácil viver o que fosse politicamente correto, do que o que eu gostaria de viver. Mas agora é diferente… Acreditem! Pode até doer em vocês, mas doía mais em mim, não tomar as rédeas da minha própria vida. Um dia vocês vão entender tudo isso, e aí quem sabe, percebam que eu não estou tão errada quanto pensam…


Lieda Fernanda

To Tumblr, Love Pixel Union